Eventos Principais

Um clube com eventos culturais japonesas e brasileiras

No Nippon além dos eventos departamentais temos os festivais de grande destaque para todos os associados e convidados. Promovido pelo clube com engajamento de todos os departamentos e voluntários as cinco festas tornou-se tradição com enriquecimento da cultura japonesa e  confraternização entre associados e clube.

Undoukai

Undoukai

O primeiro undoukai no Nippon, gincana poliesportiva foi realizado em 1965.

 

Esse Undoukai, realizado no único campo de futebol existente na época, foi organizado pela Associação dos Lojistas da Liberdade (hoje ACAL), como forma de agradecimento aos clientes das lojas daquele bairro de São Paulo.

 

Como o acesso ao Nippon era dificil e poucos possuiam automóveis, foram disponibilizados ônibus saindo da Praça João Mendes. Alguns anos depois, os lojistas da Liberdade pararam de organizar a gincana, e o Nippon, através de uma diretoria jovem, passou a realizar o Undoukai para os associados e convidados. O evento era divulgado em jornais japoneses e constituia numa oportunidade para venda de títulos do recém fundado clube de Arujá. Depois, por um bom tempo, o evento ocupou o campo de futebol infantil (Chiba). 


Em 2003, o Undoukai passou a ser realizado no campo de beisebol, contando com uma boa praça de alimentação e muito espaço para as provas. O espaço é tão grande que possibilita a realização de duas provas simultaneamente, em dois conjuntos de pistas, o que permite a participação de um maior número de pessoas. Para quem particípa, é claro, é muito bom ter duas pistas, mas para quem organiza, é preciso dispor do dobro de pessoas para ajudar.

 

Felizmente, o Nippon possui um grande número de associados voluntários, que se dedicam para manter a tradição e a grandiosidade desse evento esportivo e saudável, que os antepassados trouxeram do Japão. Os voluntários atuam, tanto na organização das pistas das provas, como nas barracas de alimentação, onde cada departamento administra e serve o público presente. 


Como é tradição no Nippon, por volta da hora do almoço há um intervalo, quando o grupo da Melhor Idade convida os participantes para juntos fazerem a saudável e leve ginástica japonesa do Radio Taisso. Depois, o grupo de Taikô toca uma música para chamar a atenção para a cerimônia de abertura, para a qual comparecem diversas autoridades e convidados especiais. Enquanto todos cantam os hinos do Brasil e do Japão é feito o hasteamento das bandeiras. Em 2015, a bandeira do Nippon foi hasteado pelo presidente Valter Sassaki, a do Japão pelo ex. presidente Sadao Kayano, a do Brasil pelo deputado estadual Jooji Hato, enquanto a bandeira do Estado de São Paulo ficou a cargo dos vereadores Aurélio Nomura e Masataka Ota.

 

O Undoukai continua sendo um grande evento familiar, semelhante aos realizados pelos pioneiros no começo da história do Nippon. Assim como naquela época, a chave para o seu sucesso está no entusiasmo de sua equipe de voluntários.

Intercolonial

Intercolonial

Ao criar esse evento, o então diretor de esportes, Valter Sassaki, na gestão do presidente Sadao Kayano, pensou em ir amadurecendo-o até 2008, quando poderia fazer parte das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. E de fato, o Poliesportivo foi um marco esportivo que ficou registrado na história do Centenário. Com uma grande festa de abertura, onde participaram as principais autoridades da coletividade nipo-brasileira, o Nippon recepcionou os 2.500 atletas vindos de todo o Brasil. 

 

Hoje, o Poliesportivo continua forte, mantendo os mesmos ideais de confraternização entre os atletas.

 

O Poliesportivo de 2015 foi comemorado os 55 anos de existência do clube, e contou com a participação de atletas do Peru e do Paraguai, dando um caráter internacional ao evento. Coordenado pela Diretoria Esportiva, sob a chefia do diretor de esportes Roberto Tanaka, em 2015, a competição reuniu cerca de 1.200 atletas que disputaram 12 modalidades esportivas. Cada modalidade esportiva tem sua própría cerimônia de encerramento e de entrega de medalhas aos vencedores, sendo que a mais tradicional é do tênis de campo, que realiza uma grande festa no Salão Nobre do clube. É um grande atrativo para os tenistas convidados, que viajaram de localidades distantes como Brasilia e Paraná

Festa Junina

Festa Junina

A FESTA JUNlNA FOI O PRIMEIRO EVENTO EFETIVAMENTE REALIZADO PELO CLUBE.

Após a inauguração do primeiro ginásio poliesportivo, o fundador Katsuzo Yamamoto resolveu alavancar as vendas de titulos, e para isso precisava que os eventos trouxessem os possíveis interessados ao então desconhecido clube. Assim, pediu para o jovem Honório Kuratomi, funcionário da indústria de Lâmpadas Sadokin, de sua propriedade, para formar uma diretoria jovem, que se encarregasse da organização de eventos no clube.

 

Honorio chamou amigos e colegas de escola e de trabalho para fazerem parte, e eles recebiam uma carteirinha de identificação. Como na época, as associações nipo-brasileiras ainda eram dirigidas por japoneses imigrantes, havia pouco espaço para os jovens realizarem suas próprias festas. O Nippon reuniu, dessa forma, muitos jovens voluntários, de diversas regiões da Grande São Paulo. 

 

A Festa Junina passou a ser realizada a partir de 1966, e logo vieram o Undoukaí do clube e o Carnaval Matinê, todos coordenados pela mesma diretoria jovem. Nas décadas de 1970, 1980 e 1990, Os eventos, inclusive a Festa Junina, foram organizados por coordenadores contratados, Manabu Motoda e Júlio Kato.

 

Nessa época, a Festa Junina se resumia a um pequeno show de cantores sertanejos, uma quadrilha, algumas barracas de brincadeiras e comidas típicas, e era realizada no ginásio antigo. No final da década de 1990, verificou-se que a Festa Junina havia perdido sua força, deixando de ser um evento familiar, pois só as crianças participavam. Assim,  os departamentos sociais e espotivos uniram suas forças  e conseguiram ampliar a festa, agora para todas as idades

Nippon Fest

O começo

0 evento começou com o nome de Dizô Matsuri, já que o motivo da festa era homenagear o Dízô, imagem budista, protetor das críanças e dos viajantes. A sua história começou muito antes da fundação do próprío clube. 

 

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, os japoneses radicados no Brasil viviam momentos de tensão, com o confronto entre os esclarecidos, que divulgavam a derrota japonesa, e as "kachigumi", ou vitoriosos, que pregavam que os japoneses haviam vencido a guerra. Tais conflitos eram alimentados pela total falta de informação confiável causada pelas proibições impostas pelo governo.

 

A familia Miyoshi e seus vizinhos, que moravam em Santo André, planejaram uma festa para todos os japoneses e seus descendentes, e assim passarem um momento de paz e alegria em meio a aquele período dificil. Resolveram então fazer uma festa para Dizô, um símbolo presente em todo o arquipélago japonês.

 

Pediram para um escultor do bairro de Pinheiros, em São Paulo, esculpir uma imagem de Dizô, e esta ficou pronta em 1948, sendo que a primeira festa foi realizada em 1949, no bairro Capuava, em Santo André.

 

Divulgado em jornais, o evento atraiu caravanas de ônibus do interior, já que eventos desse tipo deixaram de ser realizados por causa do conflito mundial. O Dizô Matsuri continuou a ser realizado até 1965, quando uma ordem de desapropriação do local, encerrou a animada festa do calendárío de Santo André.

 

Foi nessa ocasião que o fundador Katsuzo Yamamoto teve a idéia de convidar a familia Miyoshi a se mudar para o terreno do Nippon. Tsunaichi Miyoshi aceitou e a imagem do Dizô, bem como todas as pedras que ornamentavam o jardim japonês da família foram transferidas para Arujá. O transporte levou vários anos e somente foi concluido em 1968, ano da realização do primeiro Dizô Matsuri no Nippon.

 

lnicialmente, a festa acontecia em junho, passando para o final de julho, e mais tarde agosto, em função do florescimento das azaléias.

 

Na década de 1990, o Dizô Matsuri recebeu algumas atrações e foi rebatizado como Nipponfest, mantendo intacta a cerimônia budista no Jardim Japonês. Até hoje, 0 Nippon é a única entidade na América do Sul a fazer uma festa em homenagem a Dizô. 

 

Em 2004, o Nipponfest ganhou um formato mais cultural, com atividades e atrações de cultura japonesa. Foi nesse ano que o Nipponfest passou a contar com as barracas de alimentação dos departamentos, algo imprescindível atualmente.

 

O Nipponfest, desde a época do Dizô Matsuri, sempre ocupou o campo de futebol Chiba, onde é instalado um "yagura", de onde são distribuidos os motis (bolinhos de arroz) abençoados. A diferença é que atualmente é montado um grande palco e uma grande área é coberta para dar maior conforto aos associados. 

 

Em 2014, o Nipponfest cresceu, com uma atividade inovadora no sábado a tarde. O movimento Jovem (MOVI), com a coordenação de Erik Nakandakare, sob a supervisão geral da vice-diretora Marisa Oyakawa, realizaram o  Nippon Talk, um conjunto de palestras com personalidades de destaque da comunidade. Na primeira edição, foram convidados o sushiman Jun Sakamoto, o empresário Robson Shiba (China in Box), e o árbitro do UFC Mário Yamasakí. Cerca de 500 pessoas lotaram o Salão Nobre, no evento que contou com a presença do Cônsul Geral do Japão, Noriteru Fukushima.

 

Em 2015, foram 5 palestrantes: Pedro Mizutani, vice-presidente da Raizen; Bento Koike, fundador da Tecsis; Thái Nghiã, fundador da Goéc Eco Sandals; e Júlio Zaguiní, diretor da Google. O novo Cônsul Geral Takahiro Nakamae e o deputado Hélio Nishimoto prestigiaram o acontecimento, que superou a marca anterior de público. 

Boonenkai

Boonenkai

O fim de ano não poderia ser mais encantadora no Nippon.

Promovido pelo clube e com engajamento de todos os departamentos, a festança aconteceu no dia 5 de dezembro, com a presença de centenas de pessoas. Trata-se do último grande evento do ano para fechar "com chave de ouro" o calendário cultural do maior clube nikkei das Américas.

 

Neste ano, as surpresas ficaram por conta de uma programação artística repleta de alegria, simbolizando bem o grande espírito natalino de dezembro.

 

Uma bela encenação natalina emocionou os presentes,prendendo a atenção de crianças, jovens, adutos.

 

Foi, por mais um ano, uma grande festa para os associados, departamentos, diretoria executiva conselho e todos os amigos e colaboradores que fizeram de 2015 mais um grande ano para o clube.

 

Além da encenação natalina, o show musical também ganhou destaque. Com ritmos intensos, as músicas antigas e novas agitaram os presentes e deram m toque ainda mais caloroso no evento. Aliás, destaque para a sempre presença dos diretores de cada departamento engajados de forma contínua nos projetos do clube e elevando o nome "Nippon" sempre para um patamar acima. Todo o trabalho voluntário pôde ser visto na produção das barracas de alimentação, cujas iguarias são sempre preparadas com dedicação e carinho pelos departamentos.

 

Para as crianças, o Bonenkai também é um prato cheio. Afinal, além de poderem curtir toda a infraestrutura do clube durante o dia, a noite a organização  oferece atrações e brinquedos para a felicidade de pais e filhos. Este é, inclusive , o próprio espirito da familia "Nippon", pensar no máximo conforo dos associados, promovendo atividades  e eventos gerais voltados a toda a familia. Marca impressa pela atual gestao, com o presidente Valter Sassaki à frente das ações.

Neste ano, a presença dos jovens tambem foi atuante. No Bonenkai não foi diferente. Muitos membros do Movi ( Movimento Jovem) conferiram as atrações, além claro, de contribuirem na barraaca de venda de comida. Além deles, departamentos como Tênis de Campo, Tênis de Mesa e Badminton também promoveram a integração da nova geração. 

 

Este trabalho intenso para arregimentar e incluir o efeito desejado. Afinal, com o engajamento deles é que novos projetos virão pela frente, cujo sucesso sera garantido.

 

Ao fim, o sentido de grandes realizações tomou conta de toda a diretoria, com direito a mensagens emocionadas e com uma grande projeção para 2016. Novas ações estão por vir, novas idéias surgem, e com toda a certeza, grandes conquistas virão para o Nippon, em um ano que não será fácil. Contudo, como sempre foi no clube, a solidariedade e harmonia reinarão nos departamentos, com novas conquistas. Assim é o Nippon. Assim será no próximo ano.

 

Ao criar esse evento, o então diretor de esportes, Valter Sassaki, na gestão do presidente Sadao Kayano, pensou em ir amadurecendo-o até 2008, quando poderia fazer parte das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. E de fato, o Poliesportivo foi um marco esportivo que ficou registrado na história do Centenário. Com uma grande festa de abertura, onde participaram as principais autoridades da coletividade nipo-brasileira, o Nippon recepcionou os 2.500 atletas vindos de todo o Brasil. 

 

Hoje, o Poliesportivo continua forte, mantendo os mesmos ideais de confraternização entre os atletas.

 

O Poliesportivo de 2015 foi comemorado os 55 anos de existência do clube, e contou com a participação de atletas do Peru e do Paraguai, dando um caráter internacional ao evento. Coordenado pela Diretoria Esportiva, sob a chefia do diretor de esportes Roberto Tanaka, em 2015, a competição reuniu cerca de 1.200 atletas que disputaram 12 modalidades esportivas. Cada modalidade esportiva tem sua própría cerimônia de encerramento e de entrega de medalhas aos vencedores, sendo que a mais tradicional é do tênis de campo, que realiza uma grande festa no Salão Nobre do clube. É um grande atrativo para os tenistas convidados, que viajaram de localidades distantes como Brasilia e Paraná. 

 

Bem-vindo ao Nippon Country Club

アメリカ大陸最大の日系クラブ

O maior clube Nikkei das Américas.

Sede Nippon Arujá

 

Tel: 011-4652-0270

 

E-mail : secretaria.aruja@nipponclub.com.br

 

Escritório Central (Liberdade)

 

Tel: 011-3111-3999

 

E-mail : nipponclub@nipponclub.com.br

 

* Informamos à todos os nossos associados, que o escritório de São Paulo voltou a realizar o atendimento presencial, ainda com horário reduzido : das 9:00 às 16:30 hrs mediante um protocolo rígido de segurança, com distanciamento social, distanciamento entre as mesas, uso de mascaras e álcool gel, etc. Na sala de atendimento foi instalado uma torre de álcool gel, e será permitido a presença  somente de 2 pessoas. Excedido este limite, o associado terá que aguardar a liberação de acesso na portaria. Contamos com a colaboração e compreensão de todos, utilizando preferencialmente os nossos canais de atendimento telefônico e digital e utilizando o atendimento presencial somente nos casos de extrema necessidade.

© Orgulhosamente criado por Center Foto 2015/2020 . contato: (11) 2403-2200